VIP chega à edição 400 e traz o “queridinho da Netflix”, José Padilha na capa

907

“Essa ideia de que Hollywood é um lugar em que você vai fazer alguma coisa de grande repercussão já passou, essa ideia já era”, declara José Padilha à revista VIP, edição que chega às bancas de todo o país esta semana.

Em entrevista exclusiva no Copacabana Palace, Padilha, que já dirigiu filmes como Tropa de Elite, Tropa de Elite 2, Segredos da Tribo (documentário sobre indígenas da Amazônia), ônibus 174 e também séries como Narcos e Mecanismo, ambas pela Netflix, comenta sobre sua trajetória nas telas.

Após a repercussão do lançamento de Tropa de Elite, Padilha foi feito refém dentro de sua própria produtora, localizada no Rio de Janeiro, no qual o cineasta foi cercado por quatro homens. Depois deste episódio, Padilha aceitou o convite para dirigir seu primeiro filme em Hollywood, o remake de Robocop. No entanto, apesar de ser uma produção de Hollywood, o filme não rendeu bilheteria, nem gerou repercussão, muito menos em sua trajetória.

Em entrevista exclusiva no Copacabana Palace, Padilha, que já dirigiu filmes como Tropa de Elite, Tropa de Elite 2, Segredos da Tribo (documentário sobre indígenas da Amazônia), ônibus 174 e também séries como Narcos e Mecanismo, ambas pela Netflix, comenta sobre sua trajetória nas telas.

Após a repercussão do lançamento de Tropa de Elite, Padilha foi feito refém dentro de sua própria produtora, localizada no Rio de Janeiro, no qual o cineasta foi cercado por quatro homens. Depois deste episódio, Padilha aceitou o convite para dirigir seu primeiro filme em Hollywood, o remake de Robocop. No entanto, apesar de ser uma produção de Hollywood, o filme não rendeu bilheteria, nem gerou repercussão, muito menos em sua trajetória.

O salto em sua carreira veio com a série Narcos, sendo considerado atualmente “o brasileiro da Netflix”. No entanto, o brasileiro parece não se importar muito com os títulos que leva. “Posso dizer sobre mim, e estou mais interessado na qualidade, na relevância do trabalho do que em sua repercussão. Não me importo com status, com essa coisa de dizerem ‘Nossa, você está trabalhando em tal lugar, você é reconhecido, você é um sucesso’. Para mim, a resposta é sempre: ‘OK”.

A entrevista completa e outras matérias como sobre a região norte da Bélgica que guarda segredos surpreendentes – além da batata-frita e cerveja – e a segunda edição da única pesquisa nacional de consumo masculino que ajuda a entender quem é o homem de hoje, a VIP Top Of Men, poderão ser encontradas na edição impressa que chega às bancas de todo o país esta semana.

 

 

 




Deixe um comentário