Usina de Itaipu tem melhor geração quinzenal para um início de ano

1279

 

Depois de fechar dezembro de 2017 como o melhor mês do histórico, em pouco mais de 33 anos e meio de operação, a usina de Itaipu registrou a melhor quinzena de todos os tempos para um começo de ano, com produção de mais de 4,7 milhões de megawatts-hora (MWh). Nesta quarta-feira, 17, a geração passou de 5 milhões de MWh. As chances de bater novo recorde mensal em janeiro são grandes. A diferença na quinzena em relação ao ano passado, neste mesmo período, é de 9%. E é ainda maior – quase 22% – na comparação com a primeira quinzena de 2016, ano em que Itaipu superou pela primeira vez a barreira dos 100 milhões de MWh. Foram 103,1 milhões de MWh, uma nova marca mundial de geração de energia limpa e renovável.

 

O novo recorde quinzenal é resultado de três fatores principais: boas condições hidrológicas, alta demanda por eletricidade no Brasil e Paraguai e disponibilidade de equipamentos de geração e transmissão.

 

Para o diretor técnico executivo da Itaipu, Mauro Corbellini, graças ao profissionalismo da equipe, Itaipu tem acumulado recordes – e tudo indica, pelos números parciais de janeiro, que uma nova marca histórica está a caminho.

 

Em visita à Itaipu na última terça-feira, 16, para uma agenda intensa, o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, destacou que a grande quantidade de chuvas, com volume acima da média desde o fim do ano passado, deve garantir bandeira verde na tarifa de energia neste primeiro trimestre de 2018. O período chuvoso tem permitido a recuperação dos reservatórios das principais usinas hidrelétricas. Em período de seca, as tarifas ficam mais caras com o acionamento das usinas térmicas  para atender a demanda.

 

Fernando Coelho reforçou ainda a importância de Itaipu para suprir o setor elétrico. “Itaipu tem um papel fundamental para que tenhamos uma matriz mais barata para o setor elétrico”. E completou: “Itaipu é um case de sucesso binacional que a gente quer ver se repetir em outros países”. O ministro conheceu vários projetos da usina, do biogás, passando pela mobilidade elérica, green silicon, programas socioambientais e de turismo, entre outros.

 

Modernização tecnológica

 

Neste ano, Itaipu deverá implementar  seu processo de modernização.  O plano de atualização tecnológica  prevê investimentos de  US$ 500 milhões em dez anos.  “Será como consertar um avião em pleno voo, porque Itaipu não pode parar”, explica o diretor técnico executivo de Itaipu, Mauro Corbellini. Para dar início aos trabalhos, será estabelecido um cronograma com os principais números, projetos e definições.

 

Com a modernização, a usina continuará gerando energia de forma sustentável com o mesmo desempenho que a fez bater sucessivos recordes e a colocou em patamares jamais alcançado por outra hidrelétrica, mantendo o nível de produção e qualidade de serviços. Em 2016, Itaipu atingiu mais de 103 milhões de MWh. Nenhuma outra usina gerou tanta energia. Em produção acumulada são mais de 2,5 bilhões de MWh.

 

O grande desafio é fazer a atualização tecnológica no prazo mais adequado dentro da melhor estratégia. A modernização incluirá de forma planejada, redesenhar a arquitetura de uma nova usina digital, com uma  tecnologia moderna, substituindo a original, dos anos de 1970, para que a usina prossiga entregando energia para o Brasil e o Paraguai com o mesmo desempenho de hoje.

 

Vários equipamentos digitais substituirão equipamentos eletroeletrônicos e analógicos originais. As mudanças se darão nas funções de controle, regulação, excitação, proteção, supervisão e monitoramento de equipamentos e sistemas pertencentes às unidades geradoras.

 

Também serão contemplados serviços auxiliares, controle centralizado, equipamentos da barragem, equipamentos do vertedouro, subestação isolada a gás e a subestação da margem direita. Não estão incluídos no projeto grandes equipamentos, como geradores, turbinas, comportas, transformadores principais ou equipamentos de alta tensão em geral.

 

Vertimento

Desde o final do ano passado, Itaipu vem vertendo para controle operacional. Nesta quarta-feira, o vertimento estava em torno de 3 mil metros cúbicos de água por segundo, o dobro da vazão normal das Cataratas do Iguaçu. Numa cena rara, no último domingo, por aproximadamente 40 minutos, Itaipu abriu simultaneamente todas as três calhas do vertedouro. Normalmente, apenas uma fica aberta. O vertedouro tem 14 comportas e 3 calhas. Cada uma delas suporta mais de 10 mil metros cúbicos de água por segundo.




Deixe um comentário