Santa Terezinha de Itaipu vai ganhar centro para capacitação de catadores de resíduos

966

 

Iniciativa financiada pela Itapu Binacional visa replicar as boas práticas de reciclagem do município em outras cidades do Paraná.

 

Um convênio firmado entre a Itaipu Binacional e a Acaresti (Associação dos Catadores de Resíduos Recicláveis e/ou Reaproveitáveis de Santa Terezinha de Itaipu) vai permitir a criação de um centro para a capacitação técnica de catadores de 54 cidades – as 52 integrantes da Associação dos Municípios do Oeste Paranaense (Amop) e, ainda, Altônia (PR) e Mundo Novo (MS). O repasse de R$ 640 mil tem como objetivo permitir que as iniciativas de sucesso de Santa Terezinha de Itaipu em relação à gestão compartilhada de resíduos sejam ampliadas e replicadas em outras cidades.

 

A assinatura aconteceu na tarde desta sexta-feira (8), durante a inauguração da ampliação e requalificação da sede do Centro de Triagem de Materiais Recicláveis da Acaresti, considerado hoje um dos mais modernos do país. Participaram do evento, além dos integrantes da Associação, Iram de Rezende, diretor-presidente do Instituto das Águas do Paraná, representando o governador Beto Richa; Alexandre Teixeira, assessor da Diretoria Geral Brasileira de Itaipu, representando o diretor-geral brasileiro, Luiz Fernando Leone Vianna; o prefeito de Santa Terezinha de Itaipu, Cláudio Eberard; e autoridades de diversos municípios paranaenses.

 

O valor repassado pelo convênio com a Itaipu também será utilizado na criação de um espaço para visitantes e para a instalação de um sistema de energia solar e de reuso da água no Centro de Triagem, bem como para a aquisição de uniformes para os catadores. “É o coroamento de um trabalho bem-feito, uma verdadeira referência para o Estado e o País”, elogiou Newton Luiz Kaminski, superintendente de Obras e Desenvolvimento de Itaipu.

 

Alexandre Teixeira também reforçou a importância do trabalho dos catadores e convidou os demais municípios a aderir. “É um modelo que pode e deve ser replicado. Mas, para isso, é preciso a adesão e o comprometimento de todos.”

 

Apoio

 

Também foi firmada durante o evento a ordem de serviço para a contratação da Acaresti para realizar, além da triagem, a coleta dos materiais recicláveis em Santa Terezinha de Itaipu – atividade até então realizada por empregados da prefeitura. “É preciso valorizar o trabalho de qualidade e dar cada vez mais independência aos catadores”, pontuou o prefeito de Santa Terezinha de Itaipu, Cláudio Eberhard. O trabalho terá início em janeiro de 2018 e deve ampliar a renda dos catadores em até R$ 500 por pessoa.

 

O governo do Estado, outro importante parceiro da Acaresti, aproveitou a cerimônia para fazer a entrega de um caminhão, no valor de R$ 300 mil, que será utilizado nessa nova função. “Para quem trabalhava debaixo de sol e chuva, ter um espaço como esse e tanto apoio e reconhecimento é bom demais”, disse o presidente da Acaresti, Antonio Henrique Correia.

 

Modernização

 

O Centro de Triagem da Acaresti, que tinha uma área de 500 m², engloba agora um espaço construído de 1.200 m², com maquinário completo para a triagem dos materiais. A reforma foi feita com o apoio da Itaipu e da Prefeitura Municipal de Santa Terezinha de Itaipu. O aporte total foi de R$ 1,1 milhão, sendo que aproximadamente 40% foram repassados pela Itaipu Binacional e o restante, pelo município.

 

A expectativa é que, com a reforma e ampliação, a Acaresti chegue a tratar 140 toneladas de resíduos por mês. Atualmente, são 100 toneladas. O trabalho dos catadores coloca a cidade de Santa Terezinha de Itaipu lado a lado com cidades de primeiro mundo: a coleta de recicláveis per capita chega a 5 kg por habitante por mês, mesmo patamar de Paris e Amsterdam, por exemplo. A média brasileira é de 1 kg por habitante por mês.

 

O trabalho da Acaresti já foi premiado por diversas instituições e órgãos governamentais e, hoje, é uma das referências do projeto Coleta Solidária da Itaipu Binacional. O projeto chegou a ter um índice de 85% de participação da população na separação dos materiais recicláveis, com aproveitamento de 92% das 100 toneladas de materiais coletados são recicláveis

 

Crédito: Adenésio Zanella/Itaipu Binacional




Deixe um comentário