Oeste em Desenvolvimento agora é uma associação sem fins lucrativos

796

O Programa Oeste em Desenvolvimento (POD) foi instituído como associação civil, sem fins lucrativos, nessa terça-feira (9), já com duas de suas 21 prioridades para o crescimento da região atendidas: fim da vacinação contra a aftosa e construção do aeroporto regional.

O estatuto que instituiu a Associação Oeste em Desenvolvimento foi aprovado por aclamação durante uma assembleia na sede da Associação Comercial e Industrial de Cascavel (Acic). Participaram da reunião 60 empresários, políticos, professores e representantes das entidades da sociedade civil organizada que nos últimos quatro anos levantaram as necessidades e apresentaram projetos prol do desenvolvimento econômico e social dos 54 municípios do Oeste do Paraná.

Na mesma cerimônia, foram constituídos os conselhos Administrativo e Fiscal. A Itaipu Binacional e o Parque Tecnológico Itaipu (PTI) são duas das 13 instituições integrantes. “O Oeste em Desenvolvimento já existia de fato. Agora, existe de direito, com personalidade jurídica própria”, afirmou o presidente da associação, Danilo Vendruscolo.

O empresário foi reeleito para o mandato de presidente, ao lado de Elias Zydek e Rainer Zielasko, vice-presidente e 2º vice-presidente, respectivamente. O secretário-executivo será Dimas Bragagnolo, cedido pela Associação Comercial e Industrial de Foz do Iguaçu (Acifi).

Convênios

Segundo Vendruscolo, com estatuto próprio e CNPJ, a associação fica habilitada para prestar uma série de serviços, mas, acima de tudo, receber recursos e firmar convênios e parcerias com entidades públicas, privadas e do terceiro setor, bem como intercâmbios com organismos nacionais e estrangeiros.

“Assim como já vem atuando, a Associação Oeste em Desenvolvimento trabalhará prioritariamente em prol das pessoas, empresas e instituições do território, podendo, no entanto, replicar suas ações e conhecimento em outras regiões”, reforçou.

Para o vice-presidente da Associação, Elias Zydek, a conquista do título de “Estado livre de aftosa sem vacinação” tem sido a principal bandeira do Oeste em Desenvolvimento na atualidade. Com o anúncio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), no último dia 5, de que o Paraná deixará de vacinar o rebanho contra febre aftosa em 2019, dois anos antes do previsto, conseguiremos o título antecipadamente.

“Para nós é uma grande conquista, pois o mercado internacional entenderá que o controle sanitário é mais rigoroso e nossa imagem ficará ainda melhor. Com isso, abriremos novos mercados”, avaliou.
Outro importante anúncio feito na ocasião é que o Governo do Estado começará a pagar nesta quinta-feira (11) as indenizações referentes aos 148 hectares que serão desapropriados para a construção do aeroporto regional, no município de Tupãssi.

A construção do aeroporto regional é uma das demandas da Câmara de Infraestrutura e Logística do POD, que trabalha para que a região disponha de mais modais tanto para escoar a safra como para o transporte de passageiros.
Oeste em Desenvolvimento

Lançado em 2014, o Oeste em Desenvolvimento sempre teve como objetivo promover o desenvolvimento econômico sustentável dos 54 municípios do oeste do Paraná por meio de ações integradas e com foco nas potencialidades regionais.

“Não foi fácil chegarmos até aqui. Mesmo com ideias diferentes, todas as decisões foram tomadas pensando no desenvolvimento do território”, disse Mário Costenaro, um dos fundadores do então programa.

Toda a ação tem como base as sete cadeias produtivas do território, também chamadas de exportadoras, pois recebem recursos e investimentos de outras regiões brasileiras e até do exterior. São elas: Cadeia de Frango, Cadeia do Leite, Cadeia de Suíno, Cadeia de Pescado, Cadeia de Grãos, Indústria Metalmecânica e Turismo.

Mais informações, a lista com todas as instituições parceiras e como se associar estão no site: www.oesteemdesenvolvimento.com.br.

 

Foto: Abilene Rodrigues




Deixe um comentário