Diálogos 100 Fronteiras gera ideias, conexões e networking

217

Todos a postos e com olhos atentos. Na última sexta-feira, a Revista 100 Fronteiras realizou a segunda edição do Diálogos 100 Fronteiras. O encontro de 2015 foi muito bem recebido pelos munícipes de Foz do Iguaçu, Puerto Iguazú e Ciudad del Este. O debate foi elogiado, inclusive, nas redes sociais.

Foram cerca de 250 participantes durante as três horas de evento. A cerimônia foi conduzida na voz de Magda Carmem Carvalho. Estiveram presentes os dois palestrantes, o juiz Márlon Reis (idealizador da Ficha Limpa) e a deputada Carla Pretto. Também compareceram os debatedores Diogo Busse, Emerson Zotti, Gilmar Piolla e Luiz Marchioratto, além do mediador, Fabio Canhete.

A segunda edição do Diálogos foi iniciada pela deputada Carla Pretto. Durante o debate, Carla comentou a importância da participação do jovem na construção de uma política mais responsável na Tríplice Fronteira. A representante da Frente Renovador de Misiones também fez um levantamento sobre o turismo na Região Trinacional.

A todo momento, a plateia poderia fazer perguntas ou levantar questionamentos a ser respondidos por cada debatedor ou palestrante via WhatsApp. Foi a primeira interação via mídia eletrônica em um debate trinacional – uma conexão por meio das ideias que gerou networking.

Em seguida, quem deu tom ao Diálogos 100 Fronteiras foi o juiz Márlon Reis. A plateia ficou admirada com o poder de conhecimento do magistrado ao falar sobre a corrupção na política de nosso país. O jurista reexibiu uma reportagem feita pelo Fantástico, um resumo de seu livro, O Nobre Deputado, e a história de Cândido Peçanha, personagem fictício criado por Márlon.

A mesa de debate com Diogo Busse, Emerson Zotti, Gilmar Piolla e Luiz Marchioratto gerou interação constante entre os espectadores. Entre os temas abordados, falou-se sobre educação, tráfico, drogas e política.

Para finalizar, o Diálogos teve voz e violão com Fumê e Carol Ramalho, além de um delicioso coquetel de confraternização. Quem participou do ciclo de palestras também pôde conferir de perto o estande do Rotaract, empresa global que tem como principal objetivo compartilhar ideias e projetos para encarar os desafios da humanidade.

O Diálogos 2015 acabou, mas a 100 Fronteiras já está pensando no evento de 2016 e, é claro, quer ouvir sugestões de temas e assuntos, porque: a conversa continua.

Você pode conferir aqui as fotos do evento!
Mande sua ideia para o e-mail diálogos@revista100fronteiras.com.




Deixe um comentário