Aeroportos da tríplice fronteira: um potencial invejável

4068

Por: Fábio Canhete

Fotos: Fábio Canhete e Rogério Avelino

Foz do Iguaçu tem algo de que só os grandes centros dispõem, um aeroporto capaz de receber com tranquilidade os principais modelos de aeronaves. Já em um raio de 60 quilômetros, temos três terminais em operação. No Brasil só São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte contam com mais de um aeroporto tão perto para voos comerciais. Invejável para muitos destinos turísticos, temos dentro de casa uma estrutura aeroportuária que, apesar de necessitar de melhorias, acaba tornando-se um grande diferencial que facilita na captação de visitantes em relação a outros locais turísticos. Gramado, por exemplo, com 2,5 milhões de turistas anualmente, tem o aeroporto mais próximo somente em Porto Alegre, cerca de cem quilômetros de distância, e sonharia de longe ter voos do lado de casa. Fiz uma análise dos três terminais juntos em 2016 porque até o fechamento desta edição da revista não tínhamos o somatório total de 2017 – que, por sinal, será muito melhor. Ao todo, o Aeroporto Guarani, no Paraguai; Iguazú, em Puerto Iguazú; e Cataratas, em Foz do Iguaçu, movimentaram juntos 2.788.683 passageiros – número que supera Manaus (2.652.452) e Maceió (1.995.069) por exemplo. A nossa capilaridade também é boa, temos ligações diretas com São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Brasília, Belo Horizonte, Campinas, Lima, no Peru, além de voos sazonais para capitais nordestinas e também para Florianópolis, na alta temporada, a partir de Foz do Iguaçu. Já Puerto Iguazú liga diretamente para Buenos Aires, Salta, Mendoza, Rosário e Córdoba, além de uma nova ligação prevista para 2018 para o Rio de Janeiro e Madri; e Assunção, com voos diários partindo de Ciudad del Este.

Aeroporto Foz do Iguaçu.

Novas estruturas Em termos de movimentação, o aeroporto iguaçuense lidera. Em 2016 foram 1.851.116 passageiros; atualmente é o segundo que mais recebe pessoas em uma região fora de capitais brasileiras, perdendo somente para Viracopos, em Campinas, que fica a cem quilômetros de São Paulo. Seu fluxo também é superior ao de Assunção, que movimentou 1.033.168 ano passado e ficou à frente de algumas importantes cidades do Brasil, como São Luiz, Campo Grande, João Pessoa, Aracaju, Teresina, Porto Velho, Palmas e Macapá.

Nova torre de controle na Argentina, que deu início ao processo de revitalização do aeroporto.

Apesar de ser o mais movimentado, ele é o único entre os três que não dispõe de fingers – pontes móveis que ligam diretamente a porta da aeronave até o terminal de passageiros. No lado paraguaio foi instalada ano passado uma única ponte; já o argentino conta há anos com este sistema, que dá mais comodidade ao viajante e diminui o desembarque e embarque. Com uma reforma prevista, o aeroporto de Foz do Iguaçu terá em breve esse sistema com os quatro equipamentos que foram adquiridos e esperam, para os próximos meses, sua instalação – que virá também com uma reforma completa do terminal, e isso aumentará a capacidade do aeroporto. Na Argentina o Aeroporto Internacional de Puerto Iguazú é o mais movimentado da Região Nordeste do país, tendo fechado o ano passado com 893.945 passageiros; e no Paraguai, o Aeroporto Guarani, que fica em Mingua Guazú, é o menor em número de pessoas, com apenas 43.622 no acumulado ano passado, mas o maior entre os três quando o assunto é volume de cargas, pois foram mais de 5.840,66 toneladas em 2016.

Semanalmente, o aeroporto Guarani, no Paraguai, recebe aviões cargueiros intercontinentais.

O Paraguai pode movimentar menos, mas tem a melhor pista para pousos e decolagens, com 3.400 metros, e também é o único apto atualmente para receber voos intercontinentais; semanalmente pousam cargueiros vindos de Miami, além de receber sazonalmente de Dakar, Campinas, entre outros centros logísticos.

O aeroporto internacional Guarani fica em Minga Guazú é o maior segundo terminal do Paraguai.

Na Argentina já está garantida uma reforma, prevista para acontecer nos próximos dias, com investimentos de 600 milhões de pesos (R$ 114 milhões), e com isso ganhará não só uma modernização no seu terminal como também um aumento na sua pista, que chegará a 3.300 metros e poderá receber tranquilamente voos intercontinentais.

Na foto, as pontes móveis (fingers) do Aeroporto Iguazú, que terá voo para Madri, Espanha, pela companhia Air Europa.

O Aeroporto de Foz do Iguaçu tem excelentes números de passageiros, os quais podem crescer ainda mais. Dados atualizados até junho de 2017 mostram que o fluxo foi 12,15% maior que em 2016 e que obteve o maior percentual de crescimento nesse período entre 30 aeroportos brasileiros.

Vista atual do terminal de passageiros do aeroporto de Foz. Em breve ganhará quatro pontes de embarque (fingers).

Apesar das propostas de modernização do terminal de passageiros e do recape asfáltico na pista atual, que ao todo preveem investimentos de R$ 70 milhões, precisamos de um comprimento de pista maior para garimpar voos intercontinentais, afinal com os atuais 2.195 metros, a pista tem restrição de decolagens por causa do peso das aeronaves intercontinentais, também conhecidas como wide-body, que precisam carregar mais peso para ter uma autonomia maior de voo, necessitando de pistas maiores. O que está por vir O Fundo Iguaçu apresentou uma proposta no Plano Diretor do aeroporto para construir uma nova estrutura secundária com três mil metros, mas o investimento chegaria a R$ 300 milhões – valor hoje difícil de conseguir. Em um estudo feito por Ariel Quinteiros, em sua monografia para o Curso de Especialização em Engenharia Aeronáutica da Universidade de Taubaté/SP, consta que com esta estrutura o local receberia tranquilamente voos de largo alcance. Entretanto ele também sugere uma nova opção mais econômica: aumentar a pista atual em 600 metros, com isso o investimento seria muito menor; e a solução, mais fácil para resolvermos este gargalo. A certeza de que temos é que, apesar dos pesares, estamos bem servidos, mas vale uma brincadeira de ciúmes entre os três aeroportos. Foz tem o maior fluxo de passageiros, que dá inveja em Puerto Iguazú e Ciudad del Este; porém o Paraguai possui a melhor pista, que consequentemente inquieta brasileiros e argentinos. Os hermanos têm o melhor terminal com fingers, coisa que gostaríamos muito de ter. Como seria bom se todos tivessem o que os três têm de melhor!

Vista do pátio de aeronaves de Foz do Iguaçu.

AEROPORTO DE FOZ DO IGUAÇU De janeiro até outubro de 2017, o aumento foi de 16,32% em relação a 2016 (1.783.362 passageiros). AEROPORTO GUARANI – PARAGUAI De janeiro a outubro de 2017, o volume de cargas cresceu 30,13% em relação a 2016 (foram 6.678.418,35). AEROPORTO IGUAZÚ – ARGENTINA Em janeiro, a Flybondi, nova companhia aérea de baixo custo argentina, irá estrear no Aeroporto Iguazú, atendendo diariamente a Mendoza. Movimentação geral dos aeroportos em 2016 Argentina 893.945 pessoas Paraguai 43.622 pessoas Brasil 1.851.333 pessoas




Deixe um comentário